AlmArdente

De tudo se fala do que possa habitar uma qualquer alma humana. Os amores e desamores, as artes e os vícios, os prazeres e as dores. Intensas banalidades, para miúdos e graúdos.

segunda-feira, junho 27, 2005

Gataria

Gordos, magros, pêlo-ralo, felpudos, brancos, pretos, pardos e malhados, tudo o que seja gato é bicho de admirar.
Vem este texto a propósito do que li aqui.
Uma amiga adoptou um gato. O primeiro da vida dela. E como cedo constatou, é paixão que se torna em amor logo após as primeiras horas.
Gatos, tive muitos. Cães, nenhum. Não tenho nada contra os canídeos, gosto bastante deles mas nunca tive as condições necessárias para viver com um. Mas os gatos são tão independentes, tão donos do seu nariz, que quase não temos de tratar deles. Vão e vêm quando lhes apetece (normalmente, aparecem quando lhes dá a fome), brincam espontâneamente sem babarem ninguém, são terrivelmente fofos e ao mesmo tempo ariscos e em toda a sua doçura e languidão nunca deixamos de ver um felino sempre pronto para um salto de emboscada.
O andar dengoso, o olhar matreiro... As horas de sono sem passar cavaco a ninguém e os repentinos tiques de tigreza miúda! O ronronar, a quietude em que estagnam só porque sim, porque há momentos em que fazem pausa sem porquês. E as brigas por altura do cio, que não deixam dormir ninguém! Deve ser muito bom ser gato... estou na profissão errada.

3 Comments:

  • At 6:11 da tarde, Blogger panamá said…

    Iupiiii! Vivam os gatinhooooooooosssss!Vivaaaaaa! Viva o Marakatu! Vivaaaaaa! beijinhos, minha jóia! Queres conhecê-lo ao vivo e a cores? Prepara-te...vais babar!

     
  • At 4:54 da tarde, Blogger Lado_a_Lado said…

    Aí está algo, de que o Buda estaria à espera; é que correr atrás da bolinha não é tão divertido...

     
  • At 8:31 da tarde, Blogger panamá said…

    pois...agora na cabeça do Buda, é mais fiambre...ai, ai! bacio

     

Enviar um comentário

<< Home