AlmArdente

De tudo se fala do que possa habitar uma qualquer alma humana. Os amores e desamores, as artes e os vícios, os prazeres e as dores. Intensas banalidades, para miúdos e graúdos.

quinta-feira, agosto 09, 2007

REMOFILICOS



Início dos anos 90.
Um grupo de adolescentes formou um grupo, uma irmandade para toda a vida, daquelas que o tempo e o espaço não poderão nunca separar.
Remadores do Clube Naval da Horta, chamávamo-nos a nós mesmos "Remofílicos". O nome pegou por brincadeira, mas os laços eram genuínos e profundos.
Demos tudo o que tínhamos para dar: sangue, suor e lágrimas. Como nos filmes da tropa, mas no mundo real.
Partilhámos alegrias e tristezas e tornámo-nos uma família inseparável: A Sarita, a Ana Marisa, a Isolda, o Marco Dutra, o Marco Pires, o Rui, o Pedro, o Ricardo e o Miguel.
Hoje, quase vinte anos depois e cada um vivendo a sua vida em partes bem distintas do globo, juntamo-nos anualmente lá onde está o umbigo da nossa amizade, na cidade da Horta, por altura da Semana do Mar. E velejamos, rimos, remamos, passamos o tempo a celebrar o que temos de nosso, para matar saudades daqueles tempos idos em que o nosso mundo terminava ali, sem telemóvel nem internet.
Faltam apenas uns dias para o encontro e a emoção começa a tomar conta de mim e dos outros.
Estou quase lá. Estamos quase juntos de novo.

1 Comments:

  • At 9:49 da manhã, Anonymous Zita said…

    Esse estilo de vida, contado assim deixa mesmo saudades. É bom ter amizades dessas e não as perder no tempo.

     

Enviar um comentário

<< Home