AlmArdente

De tudo se fala do que possa habitar uma qualquer alma humana. Os amores e desamores, as artes e os vícios, os prazeres e as dores. Intensas banalidades, para miúdos e graúdos.

segunda-feira, abril 07, 2008

A música é ... tudo.
A música é emoção vívida e eloquente. É vibrante, envolvente. Desperta paixões, euforias, estados de alma adormecidos ou por adormecer, tudo, tudo. Toca fundo, vai às entranhas revolver os sentimentos rítmicos que cada um de nós tem debaixo da pele - seja em estilo fado ou num pesado hard rock. Não interessa o género, interessa que seja genuíno. Interessa que a música que se ouve, seja pura na sua essência. Para isso interessa e muito quem a executa. Quem toca e canta, quem dá o corpo ao manifesto.
A música não pode ser maquinal, isenta de sentimento, ausente de significado.
Tocar um instrumento, cantar, actuar em público ou gravar um disco, tudo isso tem de ser de corpo e alma, tem de haver entrega, abnegação, despojamento.
Tenho saudades dos palcos em que deixava tudo em nome duma actuação verdadeira. Tal como tenho saudades dos concertos em que se assiste a uma rendição completa do artista ao seu público. E tudo isso se me assomou agora, ao ver uma mini-actuação da Cat Power na televisão. Que espectáculo!
Não percam isto: Cat Power no Letterman


2 Comments:

  • At 4:23 da tarde, Anonymous susana said…

    ...nem mais
    cat power vem cá em maio
    e feist já tenho bilhete, estava-te a dizer ontem, mas fugiste, vêmo-nos por lá
    kiss

     
  • At 9:23 da manhã, Blogger MêCê said…

    Lá estaremos.
    Tive o privilégio de assistir ao 1º concerto da Leslie em Lisboa, que foi verdadeiramente delicioso. Espero que o próximo seja ao mesmo nível.

     

Enviar um comentário

<< Home